g2h

level

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Rosas de ouro -1971

Rosas de ouro - Sua fundação data de 1971 por um grupo de quatro amigos.
Rosas de ouro em 2010 conquistou titulo esperado desde 1994.Após apuração na tarde de terça-feira,no Sambódromo de São Paulo foi aquela alegria.
Ellen Roche rosas de ouro 2010
Os quatros amigos José Luciano Tomás da Silva, João Roque "Cajé", José Benedito da Silva "Zelão" e entre eles o seu eterno presidente Eduardo Basílio, que permaneceu à frente da escola até outubro de 2003, e dá nome à sua quadra. Hoje, uma das maiores e bem estruturadas de São Paulo.
Seu nome vem de uma condecoração do Papa Gregório II em 730, para condecorar virtuosas princesas católicas, o bouquet de ROSAS DE OURO, contidas em um vaso de forma elegante, ricamente decorado, abençoado pelo Papa antes da missa do quarto domingo de quaresma. Após a assinatura da Lei Áurea, em 1889, sua alteza imperial - Princesa Isabel seria condecorada por iniciativa do Papa Leão XIII, que a entregou uma "rosa de ouro".
A ascensão da Rosas de Ouro foi meteórica. Desfilou pela primeira vez em 1973, no segundo grupo, e ficou em quarto lugar. No ano seguinte ganhou o segundo grupo e subiu para o grupo principal. Em sua primeira aparição entre as grandes escolas de samba ficou com o vice-campeonato. Seus sambas, nos primeiros anos de existência foram feitos pelo compositor Zeca da Casa Verde.

Em 1983 veio a alegria maior para os componentes da "Roseira", apelido carinhoso da Escola, o campeonato com o enredo Nostalgia, último samba que Zeca da Casa Verde fez para a Escola, e que era uma volta a São Paulo do começo do século XX.
A cidade paulistana, aliás, é o tema preferido dos enredos da Rosas de Ouro. Já foram apresentados na avenida temas como a célebre Faculdade de Direito do Largo São Francisco, enredo do bicampeonato em 1984, a Avenida São João, os vários povos de toda parte do Brasil e do mundo que fizeram da cidade seu novo lar, o final de semana típico de um paulistano, a evolução da cidade através dos tempos, a gastronomia de São Paulo, personagens como os Demônios da Garoa e Paulo Machado de Carvalho e até uma visão futurística de como seria a cidade cem anos depois.
A Sociedade Rosas de Ouro é uma das Escolas favoritas da cidade e frequentada por uma variedade de pessoas: famílias, jovens, estudantes, crianças e estrangeiros. Em mais de 30 anos desfilando no Grupo Especial, dificilmente ficou abaixo da sexta colocação.
A comunidade da Freguesia do Ó também merece destaque pela Escola. Desde que saiu do seu bairro de origem – Brasilândia – a Rosas de Ouro desenvolve atividades com crianças e idosos ao redor da quadra. Procura ajudar os menores carentes, retirando-os das ruas. "O que mais nos orgulha é que no bairro não existem crianças nos semáforos", dizia o presidente e fundador da escola, Eduardo Basílio. "Tiramos todas as crianças das ruas", acrescentava.



As senhoras da ala das baianas promovem festas e concursos durante ano, através de grupos de convívio para as pessoas da terceira idade.
Sem perder a essência de escola de samba, a Rosas de Ouro profissionalizou seu segmento e passou a oferecer para grandes empresas, festas e eventos o show Rosas de Ouro apresentado em todo território nacional e outros países.
Toda a equipe da Escola é comprometida com as atividades, desde o lançamento do enredo até o desfile oficial. Não há período sazonal. O trabalho é intenso, durante o ano inteiro.
Em 2003 o querido presidente Eduardo Basílio adoeceu e deixou a nação azul e rosa em luto. Como sucessora sua filha Angelina Basílio, atual Presidente, passou a dirigir a Escola com muita garra. Tomou a frente dos trabalhos, sem mudar a metodologia de seu pai: “Continuarei os sonhos que o Presidente Basílio acalentava”, comenta Angelina.
FONTE: Sociedade Rosas de Ouro
Essa matéria aguarda complemento.

Postagens populares

PESQUISE NO GOOGLE

PESQUISE NO GOOGLE